Pavillon de Léoville Poyferré: Pra você que busca o tal aroma de cavalo suado.

Existe um grande debate no mundo do vinho a respeito de um dos típicos aromas dos vinhos evoluídos de Bordeaux: o cavalo suado. Enquanto os locais acreditam que esta é uma expressão única do Terroir, demais produtores mundo afora acreditam ser um defeito.

Sem dúvida os vinhos de Bordeaux estão entre os de maior tipicidade, ou seja, com característica próprias que normalmente se repetem em outros vinhos da região. E por isso, normalmente são uns dos mais fáceis de se acertar em testes cegos.

Muitos enólogos não franceses acreditam que este aroma característico de Bordeaux é um defeito causado pela recorrente levedura brett. Mas discussões a parte sobre a origem do aroma, se é um defeito ou se é uma prova de que os vinhos de Bordeaux são diferenciados, o fato é que este é o aroma que mais instiga os amantes do vinho.

E pra ajudar nossos leitores, trouxemos aqui um exemplar para matar a sua dúvida: o Pavillon de Léoville Poyferré, do Château Léoville Poyferré. Proveniente de Saint Julien, margem esquerda de Bordeaux, onde os vinhos normalmente possuem mais Cabernet Sauvignon em sua composição, este vinho traz com muita intensidade o controverso aroma. 

O primeiro bouquet que ataca as narinas faz me sentir num verdadeiro estábulo, tamanha concentração do couro suado, com suas sinestésicas notas de aromas salgadas e molhadas. Imperdível. E Indescritível. O jeito é conferir mesmo! 

Pavillon de Léoville Poyferré

Temperatura de Degustação: 17ºC                                                                                                      Uva: 70% Cabernet Sauvignon, 30% Merlot.                                                                                           Região: Saint Julien, Bordeaux                                                                                                             Cor: Grená densa com reflexos roxos.                                                                                                  No nariz: Fino e delicado, notas de chocolate e especiarias, frutas pretas maduras (cassis e amora). Toque de madeira (baunilha).                                                                                                   Na boca: Vinho carnudo e redondo, com taninos aveludados e elegantes. Aromas de frutas vermelhas e “sous-bois”. Grande persistência.                                                                Harmonização: Carnes vermelhas, caças, queijos.

Vai, conta aqui o que você achou disso

%d blogueiros gostam disto: